Pular para o conteúdo

O que dizem de mim pode ser verdadeiro ou não: Será que eu sou a minha maior julgadora e crítica?

Crítica e Julgamento: como lidar? Continue lendo este conteúdo e você irá ver que é libertador.

“Não julgue e você não será julgado. Não condene e você não será condenado. Perdoe e você será perdoado. ”

Lucas 6:37

É fato que nós nos importamos com o que falam e pensam de nós. É também fato, que há fases na nossa vida que importamos mais ou menos com o que pensam de nós.

É do ser humano o julgamento. Julgamos muito os outros, o tempo todo! E quantas vezes desejamos, a partir de nossas verdades, a coerência das pessoas, as quais muitas vezes nem nós mesmos temos.

Desejamos que as pessoas que se relacionam conosco nos acolham e compreendam sem crítica ou qualquer julgamento. Porém, observe-se! Como você tem feito em relação as pessoas ao se entorno? Antes de esperar por ele, você tem acolhido e compreendido essas pessoas sem julgamento ou crítica? Eu confesso, que EU, muitas vezes, a minha resposta é NÃO….

Bora… juntos … discursar aqui sobre a crítica e julgamento? Como não se importar com o que pensam sobre nós?

Abordarei sobre:

criticas e julgamento

Por que as pessoas julgam?

Porque somos humanos. É da nossa natureza julgar!

A crítica tem origem do nosso julgamento vicioso: ela serve para distrair a atenção sobre nós mesmos e para esconder a possibilidade de nos auto responsabilizarmos. Dessa maneira, ficamos em alerta a tudo o que se passa ao nosso redor, a fim de julgar e criticar a maioria das ações dos outros.

Louco isso, não é? E por qual razão fazemos isso? Observe-se…. Agindo assim, indica o quanto nós humanos tememos os mesmos problemas que criticamos e julgamos.

Fazemos isso de maneira inconsciente, pois julgamos e criticamos a partir de nossos valores pessoais, e muitas vezes nos apegamos a qualquer mínimo gesto do outro, para julgar e criticar.

O nosso desejo inconsciente de sobrevivência nos faz sermos crítico e julgadores para que de alguma maneira lutemos diariamente para sermos amados e aceitos. Criticamos e julgamos para que o outro seja o foco do julgamento e não nós mesmos. Assim evitamos de sermos surpreendidos por nossas próprias atitudes.

E por fim, vale a pena mencionar que o julgamento e a crítica são frutos de um pré-julgamento lançado em forma de condenação. Julgar e criticar é atribuir ao outro um desconforto que existe somente dentro do próprio ser que julga e critica. Ser implicante com as pessoas que nos cercam representa a projeção de nossos próprios conflitos.

Como trabalhar o julgamento em nosso comportamento?

Com certeza, ao nos conscientizarmos por qual razão julgamos ou criticamos, passamos a entender a importância de liberar o julgamento. Assim você terá uma verdadeira compreensão e compaixão por todas as pessoas ao seu entorno.

Porém, como trabalhar o julgamento em nosso comportamento?

Eu tenho pensado como eu posso trabalhar isso em mim. Compartilho com você a minha experiência:

LIBERE O SEU PRÓPRIO JULGAMENTO

Quando você julga, você pode estar perdendo a oportunidade de conhecer melhor aquela pessoa, pois ser quem ela é, a torna única. Você permite que o seu preconceito e a sua perspectiva limitada ofusquem a sua visão de ver o bem nessa pessoa.

Quando você conseguir liberar o julgamento alheio, você também irá liberar o julgamento de si mesmo. Pare para pensar, muitas vezes nós podemos ser o nosso maior e pior crítico.

Então fica a sugestão! Que tal liberar o julgamento de si mesmo? Permita-se amar mais a si mesmo. Busque, a partir do que você é bom, melhorar a si mesmo. Evolua gradualmente, alterando o seu foco para uma perspectiva amorosa positiva ao invés de negativa, julgadora e crítica.

Que fique claro que é do ser humano criticar. À medida que você, gradualmente, abandonar o julgamento a si mesmo perceberá que irá experimentar menos julgamento dos outros. Isso não significa que as pessoas deixarão de julgá-lo totalmente, mas você não vai mais presenciar seus julgamentos.

O FOCO É NA POSITIVIDADE

Como eu disse, será gradual a sua mudança! Será uma escolha não julgar a si mesmo, para aprender a julgar menos as pessoas ao seu entorno.

Que tal, a partir disso, você mudar seu foco para o bem? Isso será uma prática!

Vale o exercício: da próxima vez que, você se considerar julgado e sentir se pequeno, mude seu foco o máximo que conseguir. Foque nas suas conquistas e no longo caminho que você já percorreu até aqui.

Você é humano e com toda a certeza tem feito o seu melhor possível. A consciência, seguido da prática e repetição, cria novos hábitos.

Seja, a partir de agora, uma pessoa que irá desenvolver o hábito de criar essa confiança interna, e assim você poderá lidar positivamente com o julgamento.

EVITE PENSAR QUE É PESSOAL

Ao sentir-se julgado ou criticado, lembre-se de que esse julgamento está vindo de verdades e perspectivas limitadas. Quem está te julgando é uma pessoa que verdadeiramente não a conhece. Portanto, é verdadeiro o que estão falando? Não tem certo ou errado, o que realmente incomoda você? Não leve para o pessoal.

Porém, se você perceber que é pessoal! Quando alguém está, em algum nível, por exemplo, com cobiça ou inveja de você, tentando propositadamente prejudicá-lo. Saiba que esse comportamento dele ou dela o faz sentir-se melhor. Apenas afaste!

O que proponho aqui é um grande desafio, eu sei, pois vivo isso diariamente, principalmente no meu meio familiar. Aprender a não se ofender com julgamentos, pode ser difícil, especialmente se vier de alguém que você ama.

Você pode sentir o desejo de, responder rispidamente para se proteger. Mas, a melhor escolha é apenas “respirar”. Será preciso muita força para “respirar”. Essa força vem de uma confiança interior de saber que você faz o melhor que pode. Se você achar difícil, pergunte-se se há alguma verdade, mesmo um pouco, no que a pessoa está dizendo.

TIRE O SEU TIME DE CAMPO

Por fim, se você tentou todas as dicas acima e ainda está recebendo julgamento e não sabe mais lidar com isso, é melhor deixar a situação e criar limites em seu relacionamento com essa pessoa.

Ambientes negativos, especialmente com pessoas que, realmente, criticam e julgam, podem afetar sua felicidade pessoal, autoestima e crescimento.

Você já é limitado, para colocar mais limites à sua vida. Como eu já disse aqui, é do ser humano julgar e criticar, mas a melhor defesa é saber quem você realmente é, o que quer e para onde está indo.

É daqui pra frente…

Todos os julgamentos que já fizemos ou recebemos são das fases da nossa vida, que passam e se renovam!

Você já observou que muito o que já disseram de você, conflitos que já teve de julgamentos, no passado, hoje já não tem o menor sentido?

Perceba que houve momentos que foram tão importantes o que seus familiares e amigos pensavam de você. E hoje você pode dizer a si mesmo que tudo é tão pouco para se importar com o que pensam de você. Será que daqui a dez anos você irá se importar com o que dizem de você hoje?

Hoje eu reconheço isso!!!! E sei que muitas pessoas que já me julgaram ou que eu julguei no passado, hoje já nem fazem mais sentido para mim. Nem me recordo o nome delas e nem mesmo a fisionomia delas.

Pode acreditar no que eu digo. O que hoje pode parecer tão importante, com certeza irá mudar e ter outro sentido no futuro.

Isso é simplesmente maravilhoso!!!! Nada é fixo ou permanente. As pessoas que julgam você hoje, não serão lembradas por você no futuro. Porém, tem algo mais significativo aqui sobre julgamento e crítica. Eu gostaria de saber: o que você pensa sobre você? O que você acha de si mesmo? Qual a sua capacidade de auto-observação com o acolhimento? Você tem sido coerente com seus valores?

Observe-se: O que você tem feito? Como são as suas ações? Sabe aquele momento que ninguém observa ou vê você? Quem é você? E o que você faz?

Se você tiver a clareza e consciência de quem você é, o que dizem de você não terá mais sentido e você não se ofenderá. Se o que dizem de você o incomoda, infelizmente você ainda não sabe quem você é.

Que a sua maior mudança, quanto ao julgamento, seja além de compreender a si mesmo, mas também compreender ao outro. Essa é uma grande maneira de não julgar e não ser julgado ou pelo menos julgar menos e assim não absorver energias ruins da crítica.

Todos nós estamos em transformação. A crítica do outro é sempre dolorosa, mas o que você vai fazer com isso é o que importa.

O que falam de você faz sentido? Tenha os seus julgadores como mestres na sua vida.

Seja você coerente com seus valores! Esteja você sempre satisfeito com você mesmo! Fez sentido?