Pular para o conteúdo

Como se livrar da dúvida de saber quem você é?

Como sou extrovertida e muito falante, resolvi seguir um dos vários conselhos da minha mãe: “experimente ficar um pouco calada.”

Resolvi que o silêncio poderia ajudar-me a ser mais observadora e menos crítica e julgadora de mim mesma, e também das pessoas em minha volta. Fiquei também mais aberta a receber o que diziam de mim e busquei ter um novo olhar e um novo ponto de vista para o que chegava até mim.

Ethel Peternelli

Isto foi, sem dúvida, um momento bem desafiador na minha vida: dar uma pausa, ouvir e observar a mim mesma, inserida em um meio e com as minhas várias inter-relações.

Uma das minhas primeiras descobertas foi que eu não era dona da verdade. Descobri também que algumas das minhas verdades eram mentiras. E comecei, assim, a abrir-me para outras oportunidades e possibilidades. Passei a ter mais consciência das minhas escolhas e talentos, além de compreender algumas das minhas emoções.

Quem eu era começou a fazer sentido com essa decisão de dar uma pausa e ser mais observadora de mim mesma. Descobri que muitas pessoas contribuíam com a resposta de quem eu era.

Passei a julgar menos, ou pelo menos me esforçava para ouvir, sem críticas, mas com observação.

Neste momento passei a ter uma identidade.