Pular para o conteúdo

Amor próprio: Saia da baixa autoestima

Autoestima: Quantas vezes você já não se sentiu pequena por achar que seu parceiro não a reconhece como gostaria? Ou quantas vezes sentiu que ele a comparou com outra pessoa e isso machucou você, abalando a relação?

Muitas mulheres dizem: “Quero ser reconhecida e sentir ser amada”.

Baixa autoestima – você provocou?

Neste post gostaria que você se observasse com acolhimento e evitasse a crítica ou o julgamento. Essa baixa autoestima é sua ou foi gerada no seu relacionamento?

De qualquer maneira, essa situação emocional negativa vai afetar o seu casamento trazendo problemas. E pode ter certeza, o que irá ler aqui vai ajudar você a se compreender melhor.

Eu, verdadeiramente,defendo que homens e mulheres são diferentes e têm formas diferentes de demonstrar carinho e atenção.Muitas vezes nós não percebemos, nem compreendemos,que não devemos dar ao outro a responsabilidade de nos valorizar.

E sabe o que acontece nessa situação? É a baixa autoestima gerada pelo sentimento de acreditar que não é reconhecida.

Mas será que é ele que não a reconhece? Ou é você mesma que vem de um ciclo vicioso de acreditar que não é capaz ou que não é boa o suficiente? Que tal pensar sobre isso e começar a adotar certas ações para você mesma sentir que é boa no que é e no quefaz?

Eu bem sei do que estou falando, pois já sofri com a minha baixa autoestima e gerei problemas no meu casamento. Concentre-se e extraia o máximo do assunto que iremos tratar hoje:

baixa autoestima

6 problemas no casamento, gerados pela sua baixa autoestima:

  • Visão distorcida de si mesma;
  • Desequilíbrio emocional;
  • Silêncio mútuo;
  • Discussão e brigas por motivos pequenos;
  • Desânimo;
  • Ciúme

Então venha comigo!

Visão distorcida

Em um relacionamento saudável, uma das coisas mais importantes é o cuidado de si mesma.

O seu parceiro precisa ter admiração por você e vice-versa. E uma das admirações é você amar a si mesma. Se hoje você tem uma visão distorcida de si mesma e isso tem afetado o seu casamento, eu garanto a você que algumas pequenas posturas podem mudar esta situação.

Busque sempre lembrar em que você é boa e valorize-se por isso. Identifique o que de melhor você oferece no seu relacionamento. Muitas vezes, o que atrapalha não é um problema externo, mas sim uma crença limitante que você tem acerca de si mesma. Essa crença não deve ser transferida para o seu casamento.

Essa crença distorcida é quase sempre um pensamento negativo sobre suas características que, na verdade, precisam ser trabalhadas para que não causem problemas no seu casamento, são distorções cognitivas que tem causado respostas emocionais destrutivas e que afetam diretamente o seu relacionamento.

Se Valorize!

Convido você agora, a fazer um exercício simples: a auto-observação, sem julgamento ou crítica, mas de acolhimento a si mesma.

Veja se nessas suas distorções, nessa sua insatisfação consigo mesma, um dos fatores limitantes apontados é a generalização de características negativas, com o uso de falas como: “eu nunca sou valorizada”, ou “eu nunca me dou bem”, ou “eu nunca sou capaz de nada”, entre outras deste tipo, que também seguem um padrão de uma memória negativa, alinhadas apenas nas experiências negativas vivenciadas.

E pode acreditar que esse ciclo vicioso promove em você, e no seu relacionamento, a dificuldade para avaliar a vida de maneira mais leve, dificultando-a a ver quem realmente você é. Acredite, você é muito maior do que imagina e ele te ama assim, como você é!

Interprete a frase bíblica: “amar ao próximo como a ti mesmo”. Portanto, quem você deve amar primeiro?

Desequilíbrio Emocional

Dos problemas gerados no seu casamento pela sua baixa autoestima, o desequilíbrio emocional é um dos que mais me preocupa.

Essa condição é caracterizada pelas alterações de humor e facilidade em sair do equilíbrio diante de acontecimentos negativos e dos imprevistos. Tenha certeza que a baixa autoestima pode causar sérios desequilíbrios no seu relacionamento.

Preste muita atenção em si mesma. Você hoje está se sentindo mais sensível? Cuidado, pois você pode estar mais suscetível ao desequilíbrio emocional!

Nesse momento, isso não está acontecendo apenas com você, mas com muitas outras pessoas que, inclusive, aparentam estar fortes e poderosas.

Controle suas emoções!

Você é humana, e nós, seres humanos, somos movidos por emoções. Estas emoções estão presentes em todas as situações da nossa vida.

Assim, em momentos de baixa autoestima, elas tendem a ficar em desarmonia, podendo fazer com que você se comporte de maneira inadequada, com prejuízos em seu relacionamento.

O desequilíbrio emocional pode causar vários problemas no seu casamento, como irritabilidade, descontrole, agressividade, falta de libido, estresse e, até mesmo, depressão! Pense qual seria o efeito deletério de tudo isso no seu casamento …

Silêncio Mútuo

Pare tudo! Respire fundo! Pense: o que é a falta de diálogo entre o casal? Eu chamo essa situação de “efeito de ereção de beiço”, ninguém fala com ninguém.

Será que a sua baixa autoestima tem feito você calar-se? Ele também tem se calado diante desta situação?

Um casamento não se sustenta por muito tempo com o silêncio mútuo!

Pode ter certeza que, em algum momento da sua infância, você aprendeu com quem a criou a comportar-se dessa maneira. Calar! O famoso ato de “emburrar”, quando sentia-se desvalorizada, ou comparada, ou não amada etc.

Mas está tudo bem se foi assim… pois o que importa é sempre daqui para frente!

Mude sua vida

Pois é, agora você pode fazer mudanças no seu comportamento! Calar-se diante do outro, por sentir-se pequena não é a melhor forma de resolver a sua baixa autoestima, certo?

A falta de diálogo é o principal problema de casais hoje em dia.

Quando não estamos bem conosco, temos dificuldade em ver os dois lados da situação. Tendemos a considerar apenas a nossa dor, ou seja, valorizamos a falta que sentimos, e a incapacidade do outro em corresponder aquilo que esperamos.

A baixa autoestima é sua e não dele. Lembre se disso! E se ele está com você, pode acreditar, ele realmente te ama.

Mudança de comportamento

Portanto, convido você a se auto observar novamente. O silêncio mútuo, proveniente da sua baixa autoestima, com certeza irá trazer problemas no seu casamento, como brigas, falta de respeito e contribuirá significativamente para que o relacionamento vá definhando.

É um ciclo vicioso, pois o silêncio mútuo, por sua vez, piora ainda mais a autoestima: o ato de escutar sem dizer nada, abre precedentes e pode indicar descaso, tédio, ou indiferença. Sentiu o perigo que surge no seu relacionamento?

Lembre-se que a partir do momento que você está se relacionando com outra pessoa, você está se envolvendo com uma pessoa diferente de você. Digo novamente, e para provocar você, abaixa autoestima é sua e não dele.

“Bora” conversar?

Discussão e brigas por motivos pequenos

Eu confesso que discussões por motivos pequenos foi uma prática minha no meu casamento, também por causa da minha baixa autoestima.

Se você também se identificou com esse tópico, deve estar se perguntando: “Ethel, o que você ganhou com isso? ” Pode ter certeza que se fosse nada, eu estaria no lucro. Porém ganhei brigas e desgaste no relacionamento.

Insegurança? Pense!

Nem sempre paramos para pensar que constantes brigas no casamento podem vir da nossa baixa autoestima.

Pensamos sempre que vem de outras questões, como celular, ciúme, dinheiro, educação dos filhos, evitar discutir a relação, frequência do sexo, intromissão da família, tarefas domésticas, trabalho, dentre outros.

A sua forma de agir, por causa da sua baixa autoestima, pode ser um gatilho para suas brigas por coisas pequenas. Observe como você tem se expressado quando sente-se não amada.

A sua baixa autoestima pode estar criando mais ações negativas oriundas do seu ego afetado do que realmente o que você tem de bom e não está exteriorizando e, assim, você se torna mais reativa e vai para o embate por qualquer coisa, pois sente estar sendo julgada ou comparada. Será que é isso mesmo? Compartilhei aqui o que foi real comigo.

Desgosto consigo mesma

Pode parecer um clichê, e que seja, mas lhe digo: o amor próprio é o primeiro passo para melhorar essa sua baixa autoestima. Lembre-se em que você é boa, do que já deu certo na sua vida, inclusive no seu casamento.

Construir um casamento onde se pode minimizar os problemas faz parte de um processo interno seu. Compreenda, é preciso que você esteja bem resolvida com a mulher que é, e se ame, por inteiro! Isso não quer dizer que você seja perfeita para estar bem consigo mesma, até porque, na realidade, perfeição não existe. Somos humanas, não é mesmo?

Amor próprio

Ame-se como é! Você tem potencial de mudar quando quiser. Ame-se por inteira, com as qualidades e tudo o que tem a melhorar, pois é isso que faz de você essa mulher única.

Cuide da sua baixa autoestima, pois o seu relacionamento já é uma maravilhosa conquista sua.

Desânimo

Com certeza a sua baixa autoestima pode estar trazendo para o seu casamento o problema do desânimo. Observe!

Tanto você, quanto o seu marido, desejam ter ao lado um parceiro para acompanhar, para dividir as decisões e dialogar sobre diversos aspectos da vida a dois.

Você acredita que terá ânimo quando pensa que “eu nunca sou valorizada ou amada”? Sua postura pode te dar a resposta.

Decepção com a relação

Se a mulher depende, o tempo inteiro, da afirmação do seu parceiro,que ela é “incrível”, e isso acaba desgastando a relação.

Não é dessa maneira que você se sentirá amada, respeitada e valorizada. Ele não conseguirá dar a você a atenção que deseja todo dia, em todos os momentos.

Autoconfiança!

Minha amiga! Pare de palhaçada!

Olhe-se no espelho é veja a mulher incrível que é! O seu desânimo, que talvez possa estar sendo causado pela sua baixa autoestima, não tem nada a ver com amor entre vocês. Sabe de uma coisa?

Ele te ama, mas ninguém consegue se doar por completo ao outro a ponto de fazer essa pessoa amar a si própria. Nem você, e muito menos ele!

Ciúmes

Basta olhar para si mesma e ver que a sua baixa autoestima pode fazer com que geralmente enxergue as outras pessoas, ou as outras mulheres, como sendo pessoas muito melhores, mais bonitas, mais inteligentes do que você, o que não procede!

Cada um é diferente e tem o seu jeito próprio de ser! Essa visão distorcida pode acabar lhe causando ciúmes do seu parceiro e fazendo com que comece a questionar, ou desconfiar do dele sem motivo algum.

Leia também: Ciúmes: que emoção é essa que, às vezes, nos impede de ver o amor incondicional?

Autoconfiança – Você é a escolhida!

Lembre-se de que você foi a escolha dele! Foi com você que ele decidiu constituir uma família e optou por passar uma vida juntos! Então procure se trabalhar e começar a se valorizar e a valorizar o que você tem!

O tema “ciúme” é tão extenso, que será tema de um artigo posterior, que será construído com muita dedicação, especialmente para você.

Fez sentido para você?

Ao ler este post você ficou interessada em saber mais dicas que podem ser aplicadas no seu dia a dia para aumentar a autoestima, melhorar a relação com o seu parceiro, além de te ajudar eliminar os problemas provocados no seu casamento por causa desta sua baixa autoestima?

Então, não deixe de participar da minha lista exclusiva de MULHERES DE COMPROMISSO que querem VIVER BEM:

Para se inscrever nesta LISTA basta preencher o formulário abaixo e fazer parte deste meu extraordinário mundo de acreditar e defender verdadeiramente o matrimônio.